Lusca Carcharodon

Uma Nymphäe nervosinha

Description:

no name

Raça: Nymphäe
Idade: 180 anos
Altura: 1,55
Peso: 55kg
Olhos: Azuis
Pele: Cinza-Azulado
Cabelo: Verde-Água

Classe: Clérigo
Antecedente: Criminosa
Tendência: CB

Traços de Personalidade: Sou impetuosa, aprecio a nobreza e sou muito ligada às minhas tradições. Tenho facilidade em me comunicar, fazer novos e amigos e conquistar carinho e respeito. Sou cativante e consigo inspirar as pessoas com palavras de conforto e esperança.

Ideais: Vingar a destruição de Cas-Lírie e buscar o auxílio de grupos aliados para que a coroa dos reinos Nymphäe não seja entregue aos High Elves. Sou leal ao meu povo e farei tudo para protegê-lo.

Ligações: Tenho um profundo carinho e respeito pela sacerdotisa que cuidou de mim em segredo após a morte da minha família e pelo templo em que vivi muitos anos, aprendendo a me defender e toda a história do meu povo.

Defeitos: Sou arrogante, odeio que me digam o que fazer, constantemente tenho pesadelos com o evento de cas lírie e desenvolvi sonambulismo depois disso. Apesar de ser generosa, não gosto muito de dividir itens pessoais e odeio comidas secas como pão e farinha.

Outros: Meu cabelo sempre está trançado por carregar os tentáculos de Umberlee na cabeça, e eles serem muito fortes. Soltos, eles ficam se mexendo e podem tirar meu equilíbrio. São uma arma perigosa para estrangulamentos.

(Suas vestes de sacerdotisa compõem diversos símbolos relacionados à Umberlee , à Tríade do Caos e a sua família. )

15877936_1219872921427086_974215107_o.png
Dente de Carcharodon, símbolo da sua família

15857872_1219872788093766_1226059687_o.png
Raios de umberlee como símbolo em sua orelha

15877859_1219873164760395_1579288108_o.png
Símbolos da Tríade do Caos nos aneis

Bio:

Existe uma floresta que ronda Kiire’Kiir e dá o o nome da ilha, tida há milhares de anos como o coração do continente. Essa floresta passou a ser regida por 4 aldeias de Nymphäes principais da corte de Oshanon que se dividiu e cada uma se integrou a determinados elementos da natureza. Elas cuidavam para que nunca faltasse nada aos outros povos que viviam lá (elfos, anoes etc). Cas Lírie, que era a capital, era a cidade de onde a Lusca veio, regida pelas Nymphäes Lao, ligadas à água. A familia real , Carcharodon, também vivia lá.
Nesse povo, todas as Nymphäe fêmeas são sacerdotisas do deus ou deusa que cultuam. É necessário manter um forte vínculo com o deus que rege o elemento que as mantêm vivas.
Em determinada época, as Nymphäe Gror de Trie Meloi, que são ligadas à terra e as plantas, foram persuadidas pelos High Elves para entregar o trono a eles através da união entre as duas raças (que procriam por conta da linhagem Fäe). As Gror nunca aceitaram a realeza das Lao após a divisão da corte, então toparam. Só que os elfos não queriam que a família real Nymphäe fosse destruída, somente que a economia e estrutura ficasse dependente deles de forma que a necessidade convencesse a familia real a se unir aos elfos. Só que as Gror não iam entrar nessa pra continuar submissas as Lao, e encomendaram a morte da familia real durante o ataque. Para o seu azar, Lusca Sobreviveu, e os High Elves, que apesar de tudo valorizam muito a linhagem de sangue, não aceitaram se unir em outra realeza que não a legítima, e até hoje procuram por ela.
As Gro de trie meloi não conseguiram o que queriam e ainda conseguiram um confronto entre as Nymphäe do fogo (Beur) e do tempo (Phyr), que não aceitam a ideia de dividir o reino que lhes cabe com os elfos, apesar da falta de estabilidade e de exército.
Com a queda de Cas Lírie a economia de Lillä Flans se desestabilizou fortemente sem conseguir se reestabelecer até hoje. Vários grupos radicais de High Elves e Nymphäe Lao sobreviventes entram em conflito de vez em quando. Tomar Cas Lírie significava tirar a força da floresta e por fim domina-la.
Cas Lirie caiu e se tornou ruínas de água cristalizada, e a capital passou para Trie Meloi. As poucas famílias de ninfas sobreviventes estão espalhadas em locais dos quais não se tem certeza, e por fazerem forte oposição aos High Elves precisam viver escondidas para que não sejam caçadas.
Passaram-se 80 anos sem uma parceria sólida entre os dois povos ser estabelecida. Cada dia mais a floresta entrava em colapso e é nesse momento conturbado que a historia da Lusca começa.

Durante o ataque, seu irmão mais velho, Mauntak, conseguiu avisar uma das sacerdotisas de maior confiança do templo de Umberlee e levá-la em segurança para uma gruta antes de ser atingido por uma saraivada de flechas nas costas. Lusca Viu seu irmão morrer salvando sua vida quando ainda era uma criança.
A Sacerdotisa, chamada Alamo, a levou em segurança para um pequeno abrigo na praia quebrada onde aos poucos construiu um novo templo para a deusa do mar. Lá, Alamo ensinou lusca a lutar, a adorar, a nunca esquecer o que era e a ganhar forças para recuperar o que era seu por direito. A velha senhora , muito sábia, já havia presenciado inúmeras batalhas e ensinou tudo o que foi preciso para que Lusca se tornasse uma Clérigo forte e corajosa.
Ao completar a maioridade Lusca decidiu viajar o continente para descobrir mais sobre a sua historia e sobre os reais motivos da destruição de sua cidade. Com o tempo, foi ganhando malícia e se envolvendo com todo tipo de gente para recolher as mais escusas informações. Lusca aprendeu a tomar o que era preciso e chantagear quando lhe convinha, sempre pelo bem maior de trazer de volta a glória do seu povo.
Sua maior dificuldade era esconder os traços da Deusa em seu rosto. Apesar de poucos no continente terem tanto conhecimento a respeito, a maldição ou fardo dos sinais que carregavam eram evidentes para qualquer marinheiro da costa, que sabia que aquela era uma enviada da furiosa Deusa do Mar.

Lusca Carcharodon

Tales of the Shattered Land Shahzam